Vitamina B7 – Biotina – Metabolismo, biodisponibilidade, recomendações, suplementação…

Última Atualização: 23/08/2021

Também conhecida como vitamina H, a biotina é utilizada no tratamento de acne, alopecia e seborreia, ativadora do metabolismo celular, prevenção e tratamento de estados de deficiência e fortalecimento capilar. Dosagem usual: até 10mg diariamente. (Pós Integrativa)

Recomendações Nutricionais:

  • 30 mcg/dia

Fontes alimentares:

Aparentemente a principal fonte de biotina é proveniente da síntese de novo por bactérias e organismos eucarióticos primitivos, tais como leveduras, bolores, algas, e por algumas espécies de plantas. (1)

Ela também pode ser encontrada na gema do ovo, e no fígado. (1)

Fontes: Leite humano, vegetais e frutas, germen de arroz, produtos de origem animal, nozes e cereais.

Suplementação:

A biotina pode interferir em diversos imunoensaios levando a diagnósticos errôneos. Sempre que hormônios forem analisados, é recomendado a suspensão do uso da biotina por pelo menos 48h antes.  (Pós VP)

Deficiência:

A deficiência de biotina pode gerar sintomas como: dermatite periofacial, conjuntivite, alopecia, ataxia e atraso no desenvolvimento, afinamento do cabelo, incluindo sobrancelhas e cílios, depressão, letargia, alucinações, parestesias das extremidades, hipotonia, distribuição não usual de gordura facial… (1)

Evidências sugerem que a terapia de longo prazo com anticonvulsivantes em adultos e crianças pode levar à depleção de biotina. Possivelmente o mecanismo para isso é pela quebra acelerada da biotina e pelo prejuízo na absorção causado pelas drogas. (1)

Absorção:

Em pH fisiológico, a biotina é, pelo menos modestamente, solúvel em água e necessita de um transportador para atravessar as membranas celulares, tais como: enterócitos, células somáticas e células dos túbulos renais. (1)

O transporte da biotina deve ocorrer através de dois domínios da membrana, estrutural e  funcionalmente diferentes: a membrana da borda em escova que esta voltada ara o lúmen intestinal e a membrana basolateral, voltada ara o interstício, que esta em contato com o sangue que perfunde o intestino. (1)

Na borda em escova, o transporte ocorre através de um mecanismo dependente de sódio (Na+).  Esse mesmo transportador por ser capaz de transportar o ácido pantotênico e o ácido lipoico recebeu o nome de transportador de multivitaminas dependente de sódio (SMVT). (1)

Tanto em modelos animais como em humanos, o transporte intestinal de biotina apresenta uma supra regulação em resposta à deficiência. É provável que o mecanismo envolva principalmente a indução da síntese de mRNA de SMVT e um aumento do numero de transportadores por célula. (1)

A biodisponibilidade da biotina é de aproximadamente 100%. (1)

Toxicidade:

Doses diárias de ate 200mg via oral ou 20 mg via intravenosa foram administradas e não foram reportadas nenhum tipo de toxicidade. (1)

Estrutura:

Existem oito estereoisômeros, porem, apenas um (designado d-(+)-biotina, ou simplesmente, biotina) é encontrado na natureza e é ativo enzimaticamente. (1)

Regulação:

Em mamíferos, a botina serve como cofator essencial para cinco carboxilases, cada qual catalisando um passo critico no metabolismo  intermediário. (1)

  • Acetil-coenzima A (CoA) carboxilase, isoformas I e II
  • Piruvato carboxilase
  • Metilcrotonil-CoA carboxilase
  • Propionil-CoA carboxilase

Referências Bibliográficas:

1- Ross AC, Caballero B, Cousins RJ, Tucker KL, Ziegler TR. Nutrição Moderna de Shills na Saúde e na Doença. 11a. São Paulo: Manole; 2016. 1642 p.