Café – Composição, efeitos no organismo, recomendações nutricionais…

Última Atualização : 13/01/2020

Produção:

Existem duas espécies principais de café comercializadas no mundo, a arábica (Coffea arabica), representando 70% da produção mundial e a Robusta (Coffea canéfora var. Robusta), que detem cerca de 30% do mercado mundial. (1)

Informações nutricionais:

  • Café infusão: 150ml : 20-50 mg de cafeína
  • Café Expresso: 150ml:  100mg de cafeína / 100ml – 114mg

O café além da cafeína possui diversos compostos como:

  • Cafestol (2)
  • Kahweol (2)
  • Clorogenic Acid
  • Polifenóis (2)

O modo de preparo do café pode alterar as substancias ingeridas, alterando assim seus efeitos na saúde. (2)

Ácido clorogênico:

Os ácidos clorogênicos (ACGS) são ácidos fenólicos.

O café é a principal fonte de ácidos clorogênicos na dieta ocidental, e no brasil a erva mate também tem sua devida contribuição nessa ingestão. (1) Existem fontes alimentares de ácidos clorogênicos como a maça, pera, batata, mirtilo, kiwi, pêssego, ameixa e endívia. (1)

1 xicara de café (200mL) pode conter entre 70-350mg de ácidos totais. (1)

1 xicara de chá mate (200mL) pode conter 120mg. (1)

1 Cuia de chimarrão (500mL) pode conter cerca de 1g de ACGs. (1)

100g de “frutos” podem conter entre 50-200mg de ACGs. (1)

Recomendações nutricionais:

Resumo:

  • Benéfico na esclerose múltipla; (2)
  • Benéfico em doenças hepáticas autoimunes; (2)

O consumo de café (descafeinado ou não) foi inversamente associado com mortalidade total. (2)

Os principais benefícios relacionados a ingestão do café estão relacionados a cafeína, porém, não são todos. (1)

Efeitos no Organismo:

Saciedade:

O consumo de café foi associado a um maior nível de saciedade  tanto em homens quanto em mulheres reduzindo o consumo alimentar. (3)

Atenção:

A cafeína é um antagonista capaz de se ligar aos receptores de adenosina expressos em diversas células endoteliais, células do sistema imune, vasos sanguíneos e sistema nervoso central, gerando a liberação de vários neurotransmissores, além de inibir a ação da adenosina, o maior neuroinibidor do organismo. (1)

Obesos:

Em pessoas obesas o café expresso pode não ser tão recomendado devido ao possível aumento no CT e no LDL. (3)

Diabetes tipo 2:

Estudos epidemiológicos tem associado o consumo de café com a redução do risco para DM2. Foi visto uma associação inversa entre o consumo e o risco. (1)

O mecanismo proposto é devido a ação dos ACGs modulando importantes vias metabólicas, como a digestão e absorção de carboidratos. (1)

Experimentos in vitro já demonstraram que compostos fenólicos podem inibir enzimas que diferem os carboidratos (alfa-amilase e alfa-glicosidase) e também podem atuar na homeostase da glicose ao inibir o transporte de glicose sódio-dependente. (1)

Outro mecanismo proposto seria devido a capacidade antioxidante e anti-inflamatoria desses compostos. (1)

Hidratação:

Bebidas cafeinadas não afetam negativamente a hidratação (4)

Sistema imune:

A cafeína atua em diversos componentes do sistema imune estimulando vias anti-inflamatórias. (2)

Foi visto que a ingestão de cafeína é capaz de diminuir a quimiotaxia de neutrófilos e monócitos, tendo um papel importante na modulação da inflamação. (2)

A cafeína é responsável pela imunossupressão da liberação de citocinas pró-inflamatórias, incluindo TNF-α, IL-2, e IFN-γ desempenhando um papel central na iniciação e na propagação de doenças autoimunes. (2)

Além disso, foi visto que a cafeína é capaz de potencializar a liberação de citocinas anti-inflamatórias, incluindo a IL-10. (2)

A ingestão de cafeína também pode gerar alterações na função das células B e na supressão da produção de anti-corpos. (2)

Outros constituintes do café, incluindo os polifenóis, também apresentam um papel importantíssimo na “limpeza” de espécies reativas de oxigênio, que já foram implicados no processo de doenças autoimunes. (2)

Colesterol:

Café expresso ou  não coado possuem maior efeito sobre o colesterol do que o coado (5)

Em ratos o café instantâneo gerou uma melhora na perda de peso, mas também elevou o colesterol com uma pequena redução no HDL. (3)

5 xicaras dia/ 4semanas de café expresso aumentaram o CT em 6-8% (5)

Filtrar o café remove a maior parte dos óleos presentes, incluindo o cafestol, e o kahweol, que aumentam a síntese de colesterol, diminuindo a excreção de bile e esteróis. (5)caicai

Efeito lipolítico:

A cafeína estimula a liberação de adrenalina que age como antagonista dos receptores de adenina nos adipócitos. Com isso, há um aumento  da lípase hormônio-sensível, promovendo a lipólise. (3)

A cafeína exibiu efeitos como aumento da oxidação lipídica e maior mobilização do glicogênio. (controverso.) E também mostrou um aumento da lipólise. (5)

Atividade física:

O café se mostrou um importante antioxidante, auxiliando no pós exercício  uma melhor “recuperação” da homeostase entre ROS e agente antioxidantes. (3)

Câncer:

O café contém diversas substâncias anti-câncer prevenindo a transformação de células em células malignas, diminuindo o risco para diversos canceres como, hepático, renal, pancreático, entre outros. (2)

Estudos tem demonstrado benefícios do consumo de café relacionados a redução da ocorrência de vários tipos de câncer, como de pancreas, mama e colón. (1)

O possível mecanismo para isso se deve a capacidade antioxidante da bebida. (1)

Referências bibliográficas:

1- Philippi ST, Pimentel CV de MB, Elias MF. Alimentos Funcionais e compostos bioativos. 1a. São Paulo: Manole; 2019. 893 p.

2- Sharif K, Watad A, Bragazzi NL, Adawi M, Amital H, Shoenfeld Y. Coffee and autoimmunity: More than a mere hot beverage! Autoimmun Rev [Internet]. 2017;16(7):712–21. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.autrev.2017.05.007

3- Choi EY, Park SY, Cho YO. Freeze-dried instant coffee can promote the activities of antioxidant enzymes and induce weight loss but also aggravate the plasma cholesterol profile in rats. Nutrition [Internet]. 2011;27(11–12):1202–5. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.nut.2011.02.003

4- Ruxton CHS. PDFlib PLOP : PDF Linearization , Optimization , Protection Page inserted by evaluation version The impact of caffeine on mood , cognitive function , performance and hydration : a review of benefits. 2008;

5- Cai L, Ma D, Zhang Y, Liu Z, Wang P. The effect of coffee consumption on serum lipids: A meta-analysis of randomized controlled trials. Eur J Clin Nutr. 2012;66(8):872–7.