Controle das emoções:

O controle da emoção é um termo utilizado para descrever a capacidade das pessoas de manejar de forma efetiva as “emoções” em resposta aos eventos do dia a dia. (1) É o processo no qual se é definido qual a emoção, quando ela ira acontecer e como será a reação e a expressão dessa emoção. (1)

Indivíduos que regulam suas emoções de forma “adaptativa”, tem a habilidade de modular esses estados afetivos. (1)

Exemplos de estratégias adaptativas e não-adaptativas incluem reavaliação, resolução de problemas, aceitação, evitação, ruminação e supressão. (1)

Nesse sentido é importante ressaltar que o problema não são as “experiências negativas” mas a falta de estratégias para lidar com elas. (1) A tentativa de suprimir emoções indesejadas tende a gerar comportamentos não saudáveis, como o abuso de substancias, alimentos e até auto injuria. (1)

Um estudo concluiu que a dificuldade de regular emoções é um fator importante na manutenção das desordens alimentares, podendo inclusive interferir em outras desordens psiquiátricas. (1)

Estratégias Adaptativas:

Reavaliação:

a reavaliação é uma estratégia prototípica de regulação emocional adaptativa, que envolve a geração benigna ou interpretações positivas ou perspectivas sobre uma situação estressante, como forma de diminuir seu impacto emocional. (1)

Resolução de problemas:

É uma estratégia que age no evento estressor de forma consciente, visando evita-lo ou conter suas consequências. Apesar de não ser uma estratégia que atua diretamente no estresse emocional, ela age no agente estressor, sendo indiretamente eficaz no controle das emoções. (1)

Estratégias não-adaptativas:

Supressão:

É considerada uma estratégia de resposta comumente utilizada por pessoas com desordens alimentares. (1) Durante a supressão, ocorre uma supressão da expressão da emoção, e não da experiência da emoção em si. Pode ser uma estratégia eficaz no curto prazo, porém, tende a não funcionar no longo prazo. (1)

Eventualmente esse estratégia leva a uma excitação fisiológica, não sendo efetiva em reduzir emoções. (1) A supressão leva ao efeito oposto ao desejado, levando o individuo a se fixar na emoção. (1)

Ruminação:

É uma estrategia onde a pessoa se fixa ao evento, tentando entende-lo e resolve-lo, voltando ao evento diversas vezes ao dia, retomando emoções e sentimentos que podem ser interpretados de maneira prejudicial. (1)

Geralmente os indivíduos na tentativa de entender e resolver seus problemas voltam diversas vezes ao problema, interferindo na solução do problema e gerando indecisão. (1)

A ruminação também é associada a desordens alimentares. (1)

Compulsão alimentar:

(+Sobre a compulsão alimentar)

Alguns modelos sugerem que a compulsão alimentar é um meio encontrado pelo individuo para amenizar emoções negativas, provavelmente pela falta de estratégias adaptativas para essa modulação. (1) A literatura sugere que a compulsão pode melhorar o humor de forma temporária. (1)

Nesse sentido é importante ressaltar que o problema não são as “experiências negativas” mas a falta de estratégias para lidar com elas. (1)

Referências Bibliográficas:

1- Dingemans A, Danner U, Parks M. Emotion regulation in binge eating disorder: A review. Nutrients. 2017;9(11):1–11.