Dismenorreia / Cólica Menstrual – Fisiologia, tratamento, terapia nutricional, suplementação…

Última Atualização: 08/03/2021

Diagnóstico:

Alterações Bioquímicas:

Sinais e sintomas:

Objetivo do tratamento:

Tratamento médico:

 FARMACOLOGIA:

Nsaids – anti-inflamatório não estereoidal

Alguns estudos demonstraram que os  nSAIDS são capazes de inibir a COX-2,  diminuindo  a síntese de prostaglandinas, contribuindo assim para a analgesia, e para seus efeitos anti-termicos, o que o torna eficaz na redução da severidade dos sintomas. (1)

Apesar de existirem diversos “tratamentos” para as dores da cólica, o ibuprofeno se mostrou umas melhores drogas não esteroides, anti-inflamatórias no combate a cólica, apresentando baixos efeitos colaterais e resultados expressivos. (2) O ibuprofeno suprime a síntese de prostaglandinas e suas “pré-formas”, e na produção de tramboxanos apartir do acido araquidônico. (2)

Terapia nutricional:

Resumo:

Suplementação nutricional:

  •  Gengibre em pó 750mg-2000mg/dia (1)

Orientações nutricionais:

Gengibre:

Diversos estudos tem demonstrado atividade farmacológica pleiotrópica, atuando no sistema gastrointestinal, antioxidante, cardiovascular, analgésico e anti-inflamatório.   (1) Foi demonstrado que o gengibre exerce um efeito anti-inflamatório através da inibição da COX-2, NF-kB e 5-LOX. (1)

Um estudo concluiu que o gengibre pode ser capaz de reduzir a experiencia subjetiva de dor em algumas condições. (1)

Uma meta-analise mostrou que o gengibre é capaz de melhorar a dor associada a dismenorreia em mulheres. (1) Foi visto que pó de gengibre foi tão efetivo quanto um remédio anti-inflamatório. (1)

Foi demonstrado que 750-2000mg/dia de gengibre durante os 3-4 primeiros dias da menstruação tem um ótimo potencial de tratamento para a dor. (1)

Omega-3:

Estudos recentes tem mostrado que o óleo de peixe é também capaz de suprimir a síntese de prostaglandina. (2)

Diversos estudos encontraram que há uma redução na severidade dos sintomas da cólica mesmo após o fim do uso de ω3, este apresentando um melhor efeito do que o ibuprofeno.  Neste estudo foi utilizado 1g/dia, mas existem estudos com ate 4g/dia. (2)

Outros tratamentos:

Fisiopatologia:

A dismenorria primaria é uma das desordens ginecológicas mais prevalentes. (1) É definida como dor associada a menstruação na ausência de doenças. (1)

Fatores de risco:

  •  

Fisiopatologia:

Embora a causa da dismenorreia ainda não seja totalmente compreendida, parece que uma das causas é devido ao aumento na produção das prostaglandinas derivadas da ciclooxigenase-2 (COX-2) e de outros mediadores inflamatórios, que são responsáveis por causar  contrações excessivas no útero e consequentemente dor e arrepios.

Os sintomas da dismenorreia podem ser incapacitantes, de modo a gerar faltas no trabalho e/ou na escola. (1)

Referências bibliográficas:

1- Daily JW, Zhang X, Kim DS, Park S. Efficacy of Ginger for Alleviating the Symptoms of Primary Dysmenorrhea: A Systematic Review and Meta-analysis of Randomized Clinical Trials. Pain Med (United States). 2015;16(12):2243–55.

2- Zafari M, Behmanesh F, Agha Mohammadi A. Comparison of the effect of fish oil and Ibuprofen on treatment of severe pain in primary dysmenorrhea. Caspian J Intern Med. 2011; 2 (3) :279-282