Erva-cidreira – Lippia alba

Última Atualização: 19/05/2021

Planta:

Também conhecida como erva-cidreira brasileira, alecrim do campo, salsa-brava, salsa-limão, alecrim selvagem entre outros… (1)

Nome Farmacêutico:

Folium Lippiae Albae

Parte Utilizada:

Folhas

Componentes químicos:

Óleos Essenciais:

É encontrado 0,5-1,5% de óleos essenciais. (1) Dentre eles, temos: geraniale, neral, β-cariofileno, metil-heptenona, citrocelal, geraniol, borneol, óxido de cariofileno, borneol, cis-α-bisaboleno, limoneno, 1,8-cineol, mirceno e carvona. (1)

Os óleos essenciais foram subdivididos em de acordo com sua composição química em três tipos fundamentais: (1)

  • Elevados teores de citral, miraceno e limoneno (1)
  • Elevados teores de citral e limoneno (1)
  • Elevados teores de carvona e limoneno (1)

Iridoides:

Temos: geniposídeo, tevesídeo. (1)

Fenilpropanoide:

Está presente o verbascoisídeo

Flavonoides:

Atividade Farmacológica:

  • Ação sedativa (1)
  • Antiespasmódico (1)
  • Analgésica (1)
  • Ansiolítica (1)
  • Anti-inflamatória (1)
  • Ação anticonvulsivante
  • Protetor gástrico

Toxicidade:

Sem referências. (1)

Contraindicações:

Popularmente não se recomenda o uso por hipotensos e para crianças de 0-5 anos. (1)

Posologia:

  • Planta seca ou pó – 3-6g/dia (1)
  • Tintura (1:5, etanol 70): 25-30 gotas após as refeições (1)
  • Infusão: 3-6g / xicara 1-2 vezes ao dia (1)

Chá de Erva Cidreira:

O chá é utilizado principalmente como antiespasmódico (cólicas uterinas e intestinais), digestivo e calmante. (1)

Atividade Analgésica:

Os óleos essenciais e o extrato hidroalcóolico obtidos das folhas, demonstraram efeitos positivos nos teste realizados. (1) Julga-se que o mirceno  é provavelmente um dos componentes responsáveis pela propriedade analgésica.

Alguns trabalhos relacionam a ação analgésica aos monoterpenoides, dentre estes a carvona e o limoneno. (1)

Efeito na Ansiedade:

Os óleos essenciais e o extrato hidroalcóolico obtidos das folhas, demonstraram efeitos positivos nos teste realizados. (1)

Os constituintes da carvona e do limoneno também podem ter importante papel nas atividades depressoras do SNC. (1)

Pelo perfil da atividade demonstrada assemelhar-se ao dos benzodiazepínicos, não se descarta a hipótese de seu efeito central ser mediado por esse receptor. (1)

Ação anti-inflamatória

Os óleos essenciais e o extrato hidroalcóolico obtidos das folhas, demonstraram efeitos positivos nos teste realizados. (1)

Alguns trabalhos relacionam a ação anti-inflamatória  aos monoterpenoides, dentre estes a carvona e o limoneno. (1)

Ação anticonvulsivante:

Em camundongos foi visto que os três tipos de óleos essenciais apresentaram atividade anticonvulsivante. E supõe-se que essa ação é mediada pelos receptores GABA.

Ação protetora gástrica:

Foi visto que a infusão de L. alba protege a mucosa gástrica em animais. Porém não foi visto uma alteração do pH gástrico, nem a produção de muco e não houve interferência na glutationa, aminoácido importante na proteção da mucosa. Assim, o mecanismo responsável por essa ação ainda é desconhecido. (1)

Referências Bibliográficas:

1.          Saad G de azevedo, Léda PH de oliveira, Sá I manzali, Seixlack AC. Fitoterapia Contemporânea – Tradição e Ciencia na pratica Clínica. 2a Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016. 441 p.