Fibromialgia – Fisiologia, terapia nutricional, suplementação…

Última Atualização: 05/04/2021

Diagnóstico:

Alterações Bioquímicas:

Sinais e sintomas:

Objetivo do tratamento:

Tratamento médico:

 farmacologia:

Terapia nutricional:

Resumo:

Suplementação nutricional:

  • Creatina (1)

 

Orientações nutricionais:

Creatina:

Estratégias que aumentem o aporte de ATP e a capacidade oxidativa são consideradas potencialmente terapêuticas em pacientes fibromiálgicos, podendo aumentar a força e a capacidade aeróbia e, sobretudo, atenuar a dor. (1)

Foi visto que a suplementação de creatina por 8 semanas foi capaz de melhorar diversos parâmetros clínicos em pacientes fibromiálgicos. Porém, após 4 semanas da interrupção da suplementação, os benefícios cessaram. (1)

Obs: A suplementação exerce efeitos benéficos sobre a função muscular, porém, não afeta de maneira significativa o quadro clinico geral da doença. (1)

Outros tratamentos:

Fisiopatologia:

Fatores de risco:

 

Fisiopatologia:

É uma doença reumática de etiologia desconhecida, cuja característica principal é a dor musculoesquelética crônica e generalizada. (1)

Além da dor, a fibromialgia é acompanhada por outros sintomas como, rigidez matinal, fadiga, dor miofascial, parestesia de extremidades, sensação subjetiva de edema, distúrbios do sono, alterações cognitivas, depressão, ansiedade, síndrome do cólon irritável, síndrome uretral inespecífica e diminuição da qualidade de vida. (1)

Evidências tem sugerido que pacientes fibromiálgicos apresentam redução nas concentrações intramusculares de ATP e PCr. Nesse sentido, tem sido hipotetizado que a dor seria resultado de dano muscular, provocado pela isquemia local e redução das concentrações de ATP. (1)

Referências bibliográficas:

1- Gualano B. Suplementação de Creatina. 1a. São Paulo: Manole; 2014. 157 p.