Infecção urinaria – ITU – Cistite

Última Atualização: 07/10/2021

Também conhecida como cistite, ela acontece quando há a entrada de bacterias na bexiga.

Terapia Nutricional:

Resumo:

  • Incluir a cranberry
  • Cuidar da microbiota do paciente
  • Prebióticos como psyllium podem ajudar.

Cranberry (vaccinium macrocarpum)

(+Sobre o cranberry)

Um estudo suplemento 1 capsula de 200mg de extrato seco de cranberry padronizado em 30% de fenóis, 2x ao dia por 12 semanas, encontrando uma prevenção das UTIs em mulheres que apresentavam infecções recorrentes. (1)

O mecanismo de ação por trás do cranberry é através da influencia das proantocianidinas interferindo na adesão das bactérias como a E. coli nas células epiteliais do trato urinário. (2) Foi visto que essa atividade inibitoria do cranberry atingiu seu pico 4-6 horas após o consumo do suco, declinando em seguida. (2)

É importante ressaltar que a ação do cranberry se deve a bioatividade exclusiva da proantocianidina A, ao contrario da proantocianidina B, que não tem uma boa disponibilidade na urina. (2)

Um estudo comparou o uso do cranberry com o uso de antibióticos (trimetropina 100mg). Foi utilizado 500mg de extrato seco, 1x ao dia ao deitar por 6 meses. Foi visto que o antibiótico teve uma pequena vantagem no efeito, porém, apresentou também mais efeitos colaterais. (3)

O autor recomenda que as pacientes discutam com seus médicos sobre a melhor terapia, levando em consideração que o produto natural tende a ser mais barato e não traz o risco de uma super-infecção por bactérias resistentes. (3)

É importante ressaltar que o uso do cranberry se mostrou seguro tanto na lactação quanto na gestação. (4)

uva-ursi (arctostaphylos uva-ursi)

(+Sobre a uva ursi)

O fitoterápico a base de uva ursi é interessante para a infecção urinaria, porém ele é derivado de hidroquinonas expressos em arbutina, e por isso apresenta alguns efeitos adversos.

A arbutina um dos constituintes mais representativos na planta, e é absorvido no intestino delgado e passa pela conjugação hepática a forma de hidroquinona. O problema é que hidroquinona livre pode causar convulsões, hepatotoxicidade, nefrotoxicidade, entre outras complicações. (8)

Berrys (frutas vermelhas):

Um estudo in vitro mostrou que o extrato das berrys foi capaz de inibir o crescimento de bactérias gram negativas, mas não foram efetivas sob as gram positivas. (5)

Microbiota:

(+Sobre a microbiota)

Existe uma diferença grande entre indivíduos com sintomas urológicos quando comparado com aqueles que não apresentam sintomas. (6)

Ja se observa disbiose em pessoas com infecções recorrentes. (6)

Há evidencias que as bactérias da espécie Lactobacillus spp. são importantes no processo de prevenção de infecções, podendo melhorar inclusive o tratamento.(6)

Outro estudo cita inclusive a raridade com que os urologistas consideram o papel da microbiota nas infecções do trato urinário. Podendo estas ter um importante papel, tanto positivo quanto negativo. (7)

Psyllium:

(+Sobre o psyllium)

Foi visto um efeito significante na microbiota de adultos, efeito Prebiótico, sendo esse efeito ainda maior em indivíduos constipados. (9)

Fisiopatologia:

Indivíduos com disbiose tem mais chance de terem este tipo de infeção pois a proliferação de bactérias patogênicas no organismo tende a ser maior.

Na infância, no primeiro ano de vida, ela é mais comum em homens devido a má formação congênita. Depois a predominância passa a ser em mulheres, chegando a ocorrer de 10 a 20x mais.

É estimado que 50% das mulheres terão pelo menos 1 episodio de ITU durante a vida, e 1/4 delas apresentará recorrência.

Referências Bibliográficas

1- Bailey DT, Dalton C, Joseph Daugherty F, Tempesta MS. Can a concentrated cranberry extract prevent recurrent urinary tract infections in women? A pilot study. Phytomedicine [Internet]. 2007 Apr;14(4):237–41. Available from: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0944711307000086

2- Howell AB, Reed JD, Krueger CG, Winterbottom R, Cunningham DG, Leahy M. A-type cranberry proanthocyanidins and uropathogenic bacterial anti-adhesion activity. Phytochemistry [Internet]. 2005 Sep;66(18):2281–91. Available from: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S0031942205002499

3- McMurdo MET, Argo I, Phillips G, Daly F, Davey P. Cranberry or trimethoprim for the prevention of recurrent urinary tract infections? A randomized controlled trial in older women. J Antimicrob Chemother [Internet]. 2008 Nov 19;63(2):389–95. Available from: https://academic.oup.com/jac/article-lookup/doi/10.1093/jac/dkn489

4- Seely D, Dugoua JJ, Perri D, Mills E, Koren G. Safety and efficacy of Panax ginseng during pregnancy and lactation. Can J Clin Pharmacol. 2008;15(1):80–6.

5- Puupponen-Pimia R, Nohynek L, Meier C, Kahkonen M, Heinonen M, Hopia A, et al. Antimicrobial properties of phenolic compounds from berries. J Appl Microbiol [Internet]. 2001 Apr;90(4):494–507. Available from: http://doi.wiley.com/10.1046/j.1365-2672.2001.01271.x

6- Schneeweiss J, Koch M, Umek W. The human urinary microbiome and how it relates to urogynecology. Int Urogynecol J [Internet]. 2016 Sep 25;27(9):1307–12. Available from: http://link.springer.com/10.1007/s00192-016-2944-5

7- Whiteside SA, Razvi H, Dave S, Reid G, Burton JP. The microbiome of the urinary tract—a role beyond infection. Nat Rev Urol [Internet]. 2015 Feb 20;12(2):81–90. Available from: http://www.nature.com/articles/nrurol.2014.361

8- de Arriba SG, Naser B, Nolte K-U. Risk Assessment of Free Hydroquinone Derived from Arctostaphylos Uva-ursi folium Herbal Preparations. Int J Toxicol [Internet]. 2013 Nov 2;32(6):442–53. Available from: http://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1091581813507721

9- Jalanka J, Major G, Murray K, Singh G, Nowak A, Kurtz C, et al. The Effect of Psyllium Husk on Intestinal Microbiota in Constipated Patients and Healthy Controls. Int J Mol Sci [Internet]. 2019 Jan 20;20(2):433. Available from: http://www.mdpi.com/1422-0067/20/2/433