Mel – Composição, efeitos no organismo…

Última Atualização: 21/01/2021

Definição:

Mel é definido como o produto alimentício produzido pelas abelhas melíferas a partir do néctar das flores ou de secreções procedentes das partes vivas de plantas ou de excreções de insetos sugadores que se instalam sobre as partes vivas das plantas, que as abelhas recolhem, transformam, combinam com substâncias específicos próprias, armazenam e deixam maturar nos favos da colmeia. (1)

Composição nutricional:

Os méis apresentam uma grande diversidade bioquímica.  Majoritariamente, encontram-se açucares, sobretudo os monossacarídeos frutose e glicose (próximo a 70%). (1)

O teor de vitaminas e minerais é baixo, não chegando próximo à recomendação diária de ingestão. (1)

Os compostos mais investigados são os bioativos, principalmente os compostos fenólicos, com destaque para as  flavonas e flavonóis. (1)

OBS: é importante ressaltar que a quantidade de compostos presentes nos alimentos não reflete necessariamente a quantidade absorvida e metabolizada pelo organismo. (1)

Estudos apontam que o consumo de méis, em comparação com a sacarose, apresentou menor índice glicêmico. (1)

Recomendações nutricionais:

Ação anticancerígena:

Há evidências de correlação positiva entre a atividade anticancerígena e a quantidade de flavonoides (crisina, apigenina, quercetina, acacetina, e pinocembrina) e ácidos fenólicos (p-couárico, vanilico, protocatecuíco, cafeína e p-ácidos hidroxibenzoicos) presentes em méis. (1)

Investigações indicam propriedades anticancerígenas por meio da interferência em varias vias de sinalização celular, incluindo a indução de apoptose via regulação e modulação das proteínas proapoptóticas, desregulação de proteínas antiapoptóticas, caminhos antimutagênicos, antiproliferativos e anti-inflamatórios. (1)

Dislipidemia:

Entre outras aplicações estudadas, destaca-se  os resultados positivos na redução do colesterol em pacientes hiperlipidêmicos, no qual estudos epidemiológicos demonstraram que a ingestão moderada de mel melhora fatores de risco cardiovasculares. (1)

Diabetes:

Estudos apontam que o consumo de méis, em comparação com a sacarose, apresentou menor índice glicêmico e “índice incremental de pico” em pacientes diabéticos do tipo 1. (1)

Referências bibliográficas:

1- Philippi ST, Pimentel CV de MB, Elias MF. Alimentos Funcionais e compostos bioativos. 1a. São Paulo: Manole; 2019. 893 p.