Maracujá – Passiflora incarnata L.

Última Atualização: 24/05/2021

Planta:

Existem 3 variedades de maracujá, sendo a incarnata a mais comum. (1)

  • Passiflora alata Curtis (1)
  • Passiflora edulis Sims (1)
  • Passiflora incarnata L. (1)

Nome Farmacêutico:

Folium Passoflorae (1)

Parte Utilizada:

Folha (1)

Componentes Químicos:

O gênero passiflora tem como característica fitoquímica apresentar alcaloides, flavonoides glicosilados e compostos cianogênios. (1)

Passiflora edulis:

Contém o  ciclopropano triterpeno glicosídeo (passiflorine), flavonoides glicosídeos (derivados da apigenina ou luteolina), fenóis, aminoácidos, carotenoides, alcaloides (harman, harmina, harmalina, harmol e harmanol) antocianinas e triterpenoides. (1)

Passiflora incarnata:

As folhas da P. incarnata contém flavonoides (crisina, vitexina, isovitexina, soponarina, campferol, quercetina e apigenina), sendo estes os principais constituintes. (1) Havendo também alcaloides indólicos (harmano ou passiflorina, harmina, harmanol e harmalina) esteróis (estigmasterol e sitosterol), cumarinas (escopoletina e umbeliferona), maltol, lignanas (ácidos cafeico e ferúlico), heterosídeos cianogênicos, polissacarídeos, traços de óleo essencial (limoneno, cumeno, α-pineno, zizaeno), taninos (catecol, ácido gálico, leucoantocianidinas), aminoácidos, ácidos graxos. (1)

Obs: os flavonoides são encontrados em maior concentração nas folhas. (1)

Atividade Farmacológica:

  • Ansiedade (1)
  • Insônia (1)
  • Depressão ansiosa  (1)
  • Cefaleia (1)
  • Espasmos musculares (1)
  • Taquicardia (1)
  • Transtornos do climatério (1)
  • Palpitação (1)

Contraindicações / Toxicidade:

  • Doses elevadas podem gerar náuseas, vômitos, cefaleia, taquicardia, convulsões e parada respiratória. (1)
  • Evitar durante a gravidez / lactação (1)
  • Não é recomendado para menores de 12 anos. (1)
  • Pode potencializar medicamentos inibidores da MAO. (1)

Posologia:

  • Pó: 500mg – 2g/dia (1)
  • Decocção: 3-5g de folhas secas ou 6-10g de folhas frescas. (ferver em recipiente aberto  para eliminar o excesso de acido cianídrico). (1)
    • Para a ansiedade, tomar de 2 a 3x ao dia. (1)
  • Extrato seco (1:2) 1,5% flavonoides totais: 250mg – 1g/dia (1)
  • Extrato seco (5:1) 300-400mg 3x ao dia (1)
  • Tintura: (1:5 etanol 45%): 0,5 a 2 mL, 3 a 4x / dia (1)
  • Extrato das partes aéreas: 30-120mg de flavonoides totais expressos em vitexina / dia. (1)

Dosagem usual: 200 a 500mg ao dia. (Pós Integrativa)

Ansiedade / Sono:

Um estudo demonstrou atividade do extrato de P. incarnata em transtornos de ansiedade e do sono. (1)

Inclusive, pesquisas recentes demonstraram que tanto a fração flavonoídica como alcaloide harmano podem ser importantes para as atividades observadas. (1)

E o mecanismo, apesar de ainda não ser totalmente elucidado, confere a atividade aos receptores GABApara o flavonoide crisina e sobre a MAO para o alcaloide harmano. (1)

Foi visto que 1 xicara de chá de com P. incarnata por 7 dias foi capaz de melhorar o rendimento e a qualidade do sono. (1)

Devido aos alcalóides e flavonóides, age como depressor inespecífico do sistema nervoso central, resultando em uma ação sedativa, tranquilizante e antiespasmódica da musculatura lisa. (Pós Integrativa)

Pressão Arterial:

Também tem atividade cardiovascular devido ao fato de diminuir por instantes a pressão arterial e ativar a respiração, deprimindo a porção matriz da medula. (Pós Integrativa)

Referências Bibliográficas:

1- Saad G de azevedo, Léda PH de oliveira, Sá I manzali, Seixlack AC. Fitoterapia Contemporânea – Tradição e Ciencia na pratica Clínica. 2a Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016. 441 p.