Sarcopenia

Última Atualização: 02/04/2021

É uma síndrome caracterizada por uma perda progressiva e generalizada de massa muscular e força. Envolvendo alterações que vão desde a ausência da capacidade funcional, a redução na qualidade de vida e risco de morte.

Diagnóstico:

  • Questionário de força/função
  • Índice de massa  muscular esquelética – smi
    • Massa muscular esquelética estimada / altura2
    • Homens > 8,87 kg/m2  /  mulheres > 6,42 kg/m2
  • Força de preensão palmar (dinamômetro de mão)
    • Homens <30kg  /  mulheres <20kg – indivíduos dinapênicos.
    • A avaliação da força de preensão palmar é um preditivo valido para  o declínio da cognição, mobilidade, status funcional e mortalidade em idosos.

Alterações bioquímicas:

Objetivo do tratamento:

Tratamento médico:

Farmacologia:

Terapia nutricional:

Resumo:

Suplementação nutricional:

  •  Creatina – 5g/dia (1)

Orientações nutricionais (Orientações p/ o paciente):

Creatina:

(+sobre a creatina)

É possível concluir com os estudos em idosos que a suplementação de creatina, isolada ou associada a atividade física é uma das poucas estratégias nutricionais capazes de atenuar o processo de sarcopenia em idosos. (1)

Foi visto que a suplementação de creatina foi capaz de reduzir a fadiga em idosos, aumentar a força, além de melhorar o desempenho físico em diversos testes funcionais e de potencia. (1)

Além disso, foi visto que a suplementação associada ao treinamento de força provocou ganhos aditivos de massa muscular, força e capacidade física em relação ao grupo que realizou apenas o treinamento físico. (1)

Alguns autores inclusive demonstraram que a creatina parece exercer uma estimulação de fatores de transcrição e regulação de genes envolvidos no ganho de massa muscular. (1) Também foi visto que a suplementação pode ser capaz de aumentar a proliferação de células satélites, as quais participam do processo de hipertrofia muscular. (1)

Outros tratamentos:

Fisiopatologia:

Fatores de risco:

  • Sedentarismo
  • Balanço proteico negativo
  • Inflamação
  • Dieta (hipocalorica )
  • Disfunção mitocondrial
  • Resistência a insulina (aumento da proteólise)
  • Baixa de hormônio anabólicos (testosterona, gh, igf-1, dhea)
  • Fatores genéticos
  • Consumo excessivo de álcool e fumo

Subgrupos:

  • Pré-sarcopenia: individuo sustenta a força, mas já apresenta a diminuição da massa muscular.
  • Sarcopenia: ocorre uma redução de massa e força muscular, apesar de nem sempre acontecer uma queda de “performance”, como no teste de marcha.
  • Sarcopenia severa: quando ocorre a perda da massa muscular e da função, afetando todos os parâmetros e qualidade de vida.

Dinapenia: queda da força. A redução da força muscular ocorre de 2-5 vezes mais rápido que a perda da massa muscular.  Essa queda da força pode agravar a perda da massa muscular.

  • O declínio da massa muscular que inicia-se  por volta dos 25 anos ate os 50 anos
  • Dos 50 anos em diante essa perda é aumentada!
  • Obesidade sarcopênica
  • O uso de esteroides pode, prevenir se bem indicado.
  • Exercícios de resistência é a forma mais útil de prevenção de perda muscular
  • Idosos apresentam uma resistência anabólica principalmente devido a restrições hormonais. Perdem maior quantidade de massa muscular.

Referências bibliográficas:

1- Gualano B. Suplementação de Creatina. 1a. São Paulo: Manole; 2014. 157 p.