Preconcepção – Tentante – Fisiologia, recomendações nutricionais, tratamentos…

Última Atualização: 30/06/2020

O período chamado de “tentante” é considerado “pré-concepção” é o período de ate 1 ano antes da tentativa de engravidar, onde ocorre o cessamento de todos os métodos contraceptivos. (1)

Porém o período mais critico da pré-concepção são os 3 meses antes da gravidez. (1,2)

Alterações bioquímicas:

Objetivo do tratamento:

Tratamento médico:

farmacologia:

Terapia nutricional:

Resumo:

  • Controle do peso. (3)
  • Ajustes na ingestão de B12; B6; B3, ferro, magnésio, ω3, zinco, cobre, iodo colina. (3)
  • Dieta rica em antioxidantes. (3)
  • Redução do índice glicêmico
  • Aumento no consumo de gorduras mono e poli insaturadas.

Suplementação nutricional:

  • Polivitaminico (3)
  • Ômega-3 – entre 200-300mg/dia de DHA. (3)
  • Ômega-3 – Gêmeos – 300-500 mg/dia de DHA. (3)
  • Acido Fólico – 400 – 600 mcg/dia; (1)
  • Ferro – 30-60 mg/dia ferro elementar- SE deficiente. (1)
  • Iodo – 150-250 mcg/dia (1)
  • Vit. D – 10mcg ou 400UI/dia de colecalciferol (4)

Orientações nutricionais:

  • Tomar cuidado com o excesso de cafeína, e bebidas cafeinadas (Energéticos)
  • Evitar a ingestão de álcool.
  • Não fumar.

Planejamento / homens:

Homens com um IMC elevado foram associados a um menor nível de testosterona. (3)

O cálcio se mostrou especialmente importante  nos homens, sendo recomendado para eles uma dieta baixa em glicemia, com inclusão de produtos lácteos, redução de gorduras trans, ferro e atividade física moderada. (3)

Um esperma mais saudável esta associado  a evitação do cigarro, das bebidas alcoolicas, bem como uma dieta rica em zinco, acido fólico e antioxidantes. (3)

Controle do peso:

Mulheres obesas tem uma maior probabilidade de pré-diabetes, diabetes na pré-concepção não diagnosticada ou hiperglicemia prolongada. Havendo ainda um menor risco do desenvolvimento de anomalia congênitas.  (3)

É recomendado que a mulher engravide com um IMC entre 18-25 kg/m² (1)

A obesidade foi associada com aumento no risco de complicações na gestação, no parto, na amamentação e ate na morte maternal. (2,5) A redução de 10% do IMC durante a pré-concepção foi associada com um menor risco de pre-eclampsia, diabetes gestacional, parto prematuro entre outros. (2)

Polivitamínico:

Algumas revisões sistemáticas tem mostrado que a utilização de polivitaminico durante a gestação gerou efeitos modestos na saúde da criança, sendo discutido a real necessidade dessa suplementação e se a suplementação individual não seria mais interessante. (2,4)

Devido a necessidade aumentada em diversos nutrientes, e a comum baixa ingestão desses, o uso de polivitaminico em gestantes pode ser mais interessante do que a suplementação em separado.

Ferro:

(+ Sobre o ferro)

Recomendação: 27mg/dia (6)

Limite: 45mg/dia (6)

A OMS recomenda a suplementação de 30-60 mg/dia de ferro Elemental durante a gestação. (1) Porém a suplementação de ferro pode gerar irritação gastrointestinal, constipação e diarreia, de modo que não é recomendado a suplementação sem a devida deficiência. (4)

Não há evidencias o suficiente que justifique  a suplementação universal do ferro em populações bem nutridas. (7)

Ácido fólico:

(+Sobre acido fólico)

Recomendação: 400-600mcg/dia  (1,3,4,6,7)

Limite: 1000 mcg/dia (6)

A OMS recomenda que mulheres em idade reprodutiva devem tomar 400mcg/dia de acido fólico pelo menos 1 mês antes do inicio das tentativas de engravidar ate o fim do primeiro trimestre. (1,7)

Meta-analises mostraram que esse valor pode ser tanto via multvitaminicos, quanto via suplementação especifica. (1)

Em casos de deficiência, o valor da suplementação pode chegar ate 4mg/dia. (3,6)

Existe estudos recomendando ate 5mg/dia de folato para mulheres obesas. (5)

Ômega-3:

(+Sobre o ômega-3)

Recomendação: 1,4g/dia (6)

Limite:

É recomendado um mínimo de 300mg/dia de DHA para gestantes, podendo esse valor ser maior. Em caso de gêmeos, esse valor varia entre 300-500mg. (3)

Iodo:

(+Sobre o iodo)

Recomendação:  150-250 mcg/dia (1,6,7)

Limite: 1100mcg/dia (6)

A OMS recomenda à ingestão diária para pré-gestação de 150-250mcg/dia de iodo. (1)

O iodo é essencial na produção dos hormônios tireoidianos com necessidades elevadas durante a gravidez, sendo especialmente necessário no desenvolvimento e crescimento do cérebro e do sistema nervoso da criança. (1)

Mesmo com a iodização do sal, diversos países ainda apresentam deficiências de iodo, sendo na gravidez recomendado a suplementação. (1)

Vitamina d:

(+Sobre a vitamina D)

Recomendações: 15 mcg/dia (6)

Limite: 100 mcg/dia (6)

UL: 50 mcg/dia (6)

OBS: 1 mcg = 40 UI

Alguns estudos tem recomendado a ingestão de 10 mcg (400UI) da pré-concepção ate o fim do primeiro trimestre. (4) Na Inglaterra é recomendado essa suplementação  da gestação ate a lactação. (4)

Estudos tem recomendado a suplementação à pessoas negras, ou pessoas que não se expõe ao sol diariamente. (4)

A deficiência da Vit. D tanto no homem, quanto na mulher é associado a infertilidade. (3)

Não existe evidencia suficiente para justificar a suplementação de Vit. D de forma rotineira. (1)

Cálcio:

Cafeína:

(+Sobre a cafeína)

Alguns estudos tem  recomendado a redução da ingestão de cafeína durante a pré-concepção,  é principalmente  durante a gestação. (1,2)

Alguns estudos já demonstraram que o consumo de cafeína (não se sabe a quantidade) afeta inclusive a fertilização in vitro. (1) Sendo capaz de aumentar o tempo ate a gestação, e diminuição da fertilidade. (1)

O consumo de mais de 300mg/dia de cafeína já foi associado ao aborto espontâneo, apesar do estudo não ser forte. (1)

Álcool:

(+Sobre o álcool)

Não há um consenso sobre a quantidade segura de álcool na pré-concepção e durante a gestação, sendo então recomendado o fim da ingestão nesse período. (1,2)

Apesar de ainda não estar certo sobre a influencia do álcool na fertilidade, já é claro seus efeitos  durante a gestação, na má formação do feto, e nascimentos prematuros, além da sua associação com a depressão. (1)

Cigarro / fumo:

E consenso internacionalmente que a mulher deve parar de fumar assim que houver a decisão de engravidar, e se necessário entrar com a terapia para esse fim. (1)

Fumar durante a gravidez aumenta o risco de complicações, como aborto espontâneo, má formação congênita, morte súbita entre outros. (1,2)

Outros tratamentos:

Atividade física:

A pratica de atividades físicas durante a pré-concepção é associada a uma gama de efeitos benéficos incluindo, melhora da fertilidade, e todos os outros benefícios comuns a todos. (1)

Maiores níveis de atividades físicas durante a pré-concepção foi associado a um menor risco do diabetes gestacional. (2)

Fisiologia:

Alguns estudo demonstraram uma associação entre o ambiente materno e a susceptibilidade do feto desenvolver doenças crônicas como, síndrome metabólica, diabetes tipo 2, doenças coronarianas entre outras mais tarde na vida. (1)

Fatores de risco pré-gravidez:

  • Diabetes; Hipotireoidismo; Obesidade;
  • DSTs; HIV; Síndrome da imunodeficiência;
  • Consumo inadequado de álcool; Tabagismo;
  • Deficiência de acido fólico; ferro;
  • Uso de Isotretinoína (acne); Drogas antiepiléticas; Anticoagulantes orais;

Hormônios da tireoide:

A exigência dos hormônios da tireoide em gestantes aumenta entre 10-40%, sendo assim, gestantes com hipotireoidismo tratado devem aumentar  seus níveis de T4 prevenindo a hipotiroxinemia transitória, associada com o nascimento prematuro ou com o baixo peso ao nascer. (3)

Referências bibliográficas:

1- Lang AY, Boyle JA, Fitzgerald GL, Teede H, Mazza D, Moran LJ, et al. Optimizing preconception health in women of reproductive age. Minerva Ginecol. 2018;70(1):99–119.

2- Stephenson J, Heslehurst N, Hall J, Schoenaker DAJM, Hutchinson J, Cade JE, et al. Before the beginning: nutrition and lifestyle in the preconception period and its importance for future health. Lancet [Internet]. 2018;391(10132):1830–41. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(18)30311-8

3- Mahan LK, Escott-Stump S, Raymond JL. Krause Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13a. Rio de Janeiro: Elsevier; 2012. 1227 p.

4- Excellence C. Vitamin supplementation in pregnancy. Drug Ther Bull. 2016;54(7):81–4.

5- Ma RCW, Schmidt MI, Tam WH, McIntyre HD, Catalano PM. Clinical management of pregnancy in the obese mother: before conception, during pregnancy, and post partum. Lancet Diabetes Endocrinol [Internet]. 2016;4(12):1037–49. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/S2213-8587(16)30278-9

6- Ross AC, Caballero B, Cousins RJ, Tucker KL, Ziegler TR. Nutrição Moderna de Shills na Saúde e na Doença. 11a. São Paulo: Manole; 2016. 1642 p.

7- Martin JC, Zhou SJ, Flynn AC, Malek L, Greco R, Moran L. The Assessment of Diet Quality and Its Effects on Health Outcomes Pre-pregnancy and during Pregnancy. Semin Reprod Med. 2016;34(2):83–92.