Coffea sp – Café

Nome Cientifico:

Coffea sp

Nome Popular:

Café

Parte utilizada:

Sementes

Produtos disponíveis no mercado:

  • Extrato seco padronizado
  • Extrato seco padronizado em 8% de acido clorogênico

Posologia:

  • Extrato seco padronizado 100-600mg/dia

Produção:

Existem duas espécies principais de café comercializadas no mundo, a arábica (Coffea arabica), representando 70% da produção mundial e a Robusta (Coffea canéfora var. Robusta), que detem cerca de 30% do mercado mundial. (1)

Informações nutricionais:

  • Café infusão: 150ml : 20-50 mg de cafeína
  • Café Expresso: 150ml:  100mg de cafeína / 100ml – 114mg

O café além da cafeína possui diversos compostos como:

  • Cafestol (2)
  • Kahweol (2)
  • Clorogenic Acid
  • Polifenóis (2)

O modo de preparo do café pode alterar as substancias ingeridas, alterando assim seus efeitos na saúde. (2)

Ácido clorogênico:

Os ácidos clorogênicos (ACGS) são ácidos fenólicos.

O café é a principal fonte de ácidos clorogênicos na dieta ocidental, e no brasil a erva mate também tem sua devida contribuição nessa ingestão. (1) Existem fontes alimentares de ácidos clorogênicos como a maça, pera, batata, mirtilo, kiwi, pêssego, ameixa e endívia. (1)

1 xicara de café (200mL) pode conter entre 70-350mg de ácidos totais. (1)

1 xicara de chá mate (200mL) pode conter 120mg. (1)

1 Cuia de chimarrão (500mL) pode conter cerca de 1g de ACGs. (1)

100g de “frutos” podem conter entre 50-200mg de ACGs. (1)

Recomendações nutricionais:

Resumo:

  • Benéfico na esclerose múltipla; (2)
  • Benéfico em doenças hepáticas autoimunes; (2)

O consumo de café (descafeinado ou não) foi inversamente associado com mortalidade total. (2)

Os principais benefícios relacionados a ingestão do café estão relacionados a cafeína, porém, não são todos. (1)

Efeitos no Organismo:

Saciedade:

(+Sobre a regulação do apetite)

O consumo de café foi associado a um maior nível de saciedade  tanto em homens quanto em mulheres reduzindo o consumo alimentar. (3)

Atenção:

(+Sobre a cafeína)

A cafeína é um antagonista capaz de se ligar aos receptores de adenosina expressos em diversas células endoteliais, células do sistema imune, vasos sanguíneos e sistema nervoso central, gerando a liberação de vários neurotransmissores, além de inibir a ação da adenosina, o maior neuroinibidor do organismo. (1)

Obesidade:

(+Sobre obesidade)

Em pessoas obesas o café expresso pode não ser tão recomendado devido ao possível aumento no CT e no LDL. (3)

Efeito lipolítico:

A cafeína estimula a liberação de adrenalina que age como antagonista dos receptores de adenina nos adipócitos. Com isso, há um aumento  da lípase hormônio-sensível, promovendo a lipólise. (3)

A cafeína exibiu efeitos como aumento da oxidação lipídica e maior mobilização do glicogênio. (controverso.) E também mostrou um aumento da lipólise. (5)

Colesterol:

(+Sobre dislipidemias)

Café expresso ou  não coado possuem maior efeito sobre o colesterol do que o coado (5)

Em ratos o café instantâneo gerou uma melhora na perda de peso, mas também elevou o colesterol com uma pequena redução no HDL. (3)

5 xicaras dia/ 4semanas de café expresso aumentaram o CT em 6-8% (5)

Filtrar o café remove a maior parte dos óleos presentes, incluindo o cafestol, e o kahweol, que aumentam a síntese de colesterol, diminuindo a excreção de bile e esteróis. (5)

Diabetes tipo 2:

(+Sobre o diabetes)

Estudos epidemiológicos tem associado o consumo de café com a redução do risco para DM2. Foi visto uma associação inversa entre o consumo e o risco. (1)

O mecanismo proposto é devido a ação dos ACGs modulando importantes vias metabólicas, como a digestão e absorção de carboidratos. (1)

Experimentos in vitro já demonstraram que compostos fenólicos podem inibir enzimas que diferem os carboidratos (alfa-amilase e alfa-glicosidase) e também podem atuar na homeostase da glicose ao inibir o transporte de glicose sódio-dependente. (1)

Outro mecanismo proposto seria devido a capacidade antioxidante e anti-inflamatoria desses compostos. (1)

Hidratação:

(+Sobre a Hidratação)

Bebidas cafeinadas não afetam negativamente a hidratação (4)

Sistema imune:

(+Sobre o sistema imune)

A cafeína atua em diversos componentes do sistema imune estimulando vias anti-inflamatórias. (2)

Foi visto que a ingestão de cafeína é capaz de diminuir a quimiotaxia de neutrófilos e monócitos, tendo um papel importante na modulação da inflamação. (2)

A cafeína é responsável pela imunossupressão da liberação de citocinas pró-inflamatórias, incluindo TNF-α, IL-2, e IFN-γ desempenhando um papel central na iniciação e na propagação de doenças autoimunes. (2)

Além disso, foi visto que a cafeína é capaz de potencializar a liberação de citocinas anti-inflamatórias, incluindo a IL-10. (2)

A ingestão de cafeína também pode gerar alterações na função das células B e na supressão da produção de anti-corpos. (2)

Outros constituintes do café, incluindo os polifenóis, também apresentam um papel importantíssimo na “limpeza” de espécies reativas de oxigênio, que já foram implicados no processo de doenças autoimunes. (2)

Atividade física:

O café se mostrou um importante antioxidante, auxiliando no pós exercício  uma melhor “recuperação” da homeostase entre ROS e agente antioxidantes. (3)

Câncer:

(+Sobre o câncer)

O café contém diversas substâncias anti-câncer prevenindo a transformação de células em células malignas, diminuindo o risco para diversos canceres como, hepático, renal, pancreático, entre outros. (2)

Estudos tem demonstrado benefícios do consumo de café relacionados a redução da ocorrência de vários tipos de câncer, como de pancreas, mama e colón. (1)

O possível mecanismo para isso se deve a capacidade antioxidante da bebida. (1)

Referências bibliográficas:

1- Philippi ST, Pimentel CV de MB, Elias MF. Alimentos Funcionais e compostos bioativos. 1a. São Paulo: Manole; 2019. 893 p.

2- Sharif K, Watad A, Bragazzi NL, Adawi M, Amital H, Shoenfeld Y. Coffee and autoimmunity: More than a mere hot beverage! Autoimmun Rev [Internet]. 2017;16(7):712–21. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.autrev.2017.05.007

3- Choi EY, Park SY, Cho YO. Freeze-dried instant coffee can promote the activities of antioxidant enzymes and induce weight loss but also aggravate the plasma cholesterol profile in rats. Nutrition [Internet]. 2011;27(11–12):1202–5. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.nut.2011.02.003

4- Ruxton CHS. PDFlib PLOP : PDF Linearization , Optimization , Protection Page inserted by evaluation version The impact of caffeine on mood , cognitive function , performance and hydration : a review of benefits. 2008;

5- Cai L, Ma D, Zhang Y, Liu Z, Wang P. The effect of coffee consumption on serum lipids: A meta-analysis of randomized controlled trials. Eur J Clin Nutr. 2012;66(8):872–7.