Carqueja –

Última Atualização: 29/09/2021

Nome Farmacêutico:

Herba Baccharis (1)

Componentes Químicos:

As partes aéreas da Carqueja contem flavonoides, diterpenos, lactonas diterpenicas, óleo essencial e saponinas. (1) Porém os flavonoides são os constituintes principais. (1)

Principais indicações:

  • Anorexia (1)
  • Dispepsia (1)
  • Gastrite (1)
  • Constipação intestinal (1)
  • Litíase Biliar (1)
  • Diabetes (1)
  • Herpes (1)
  • Artrite (1)

Alguns estudos pré-clínicos financiados pela CEME com o extrato aquoso das partes aéreas da Baccharis Trimera verificaram ação hipotensora, porém, não constataram ação depressora no sistema nervoso central e nem efeitos tóxicos. (1)

Outros estudos encontram que alguns extratos da planta apresentaram efeitos relaxantes na musculatura lisa. (1)

Um estudo mostrou que os diterpenoides são capazes de bloquear a contração do musculo liso vascular induzida por íons cálcio, corroborando seu uso tradicional, de melhorar a circulação sanguínea. (1)

Litíase Biliar:

(+Sobre a Litíase Biliar)

Foram associados o uso de extrato aquoso da carqueja à presença dos flavonoides, em especial a hispidulina, atividades anti-inflamatórias, hepatoprotetora e colagoga. (1)

Gastrite:

(+Sobre a gastrite)

Em modelos de úlcera induzida o chá de carqueja reduziu as lesões ulcerativas, assim como diminuiu a secreção gástrica e lesões induzidas por estresse e etanol. (1)

Constipação:

(+Sobre a constipação)

Foi visto que o chá de carqueja foi capaz de produzir o relaxamento do musculo liso intestinal. (1)

Artrite:

(+Sobre a artrite)

Estudos em animais mostrou que o extrato aquoso apresenta atividade anti-inflamatória em modelo de artrite. Os resultados revelaram uma redução drástica do desenvolvimento da doença com a diminuição da migração, ativação e proliferação de linfócitos para o local da lesão, cujo efeito pode ser atribuído aos flavonoides existente no extrato. (1)

Herpes

Foi visto que o extrato aquoso de carqueja foi efetivo frente ao herpes-vírus. (1)

Posologia:

  • chá: 1 col. sopa de talos/folhas – Tomar 3x ao dia 30minutos antes das refeições e ao deitar. (1)
  • Planta seca: 1-5g/dia (1)
  • Tintura: 5-25mL/dia (1)
  • Extrato fluido: 1-5mL/dia (1)
  • Extrato seco: 600-800mg/dia (1)

Contraindicações:

Não é indicado seu uso em gestantes pois pode induzir o aborto pela sua atividade uterotônica. (1)

Segurança:

Em razão da controvérsia sobre a segurança e sobre as dosagens utilizadas, tem se recomendado que não se faça o uso por tempo prolongado. (1)

Referências Bibliográficas:

1- Saad G de azevedo, Léda PH de oliveira, Sá I manzali, Seixlack AC. Fitoterapia Contemporânea – Tradição e Ciencia na pratica Clínica. 2a Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2016. 441 p.