Doença Hepática Alcoólica:

Última Atualização: 06/10/2021

Recomendações Nutricionais:

A terapia visa tratar a desnutrição que acomete a maioria dos casos com uma dieta enteral associada a suplementação.

É necessário a abstinência do álcool para uma possível remissão e a dieta deve conter algo em torno de 25 a 35 kcal/kg de peso seco.

Os níveis de proteínas podem variar entre 0,8 e 1,5g/kg, e as quantidades de CHO devem visar a manutenção da glicemia.

A utilização de BCAA pode ser benéfica, principalmente em casos de encefalopatia hepática, sendo útil também na luta contra o catabolismo proteico.

Fisiopatologia:

Caracterizada pelo aumento da mobilização de ácidos graxos com o aumento da síntese e diminuição da oxidação dos mesmos, levando ao acumulo de triglicerídeos no fígado. Tudo devido ao fato de que o álcool faz com que as mitocôndrias utilizem o hidrogênio do etanol na produção de energia, causando assim um desequilíbrio do sistema NAD/NADH+.

A cirrose é o resultado final de ano de agressão ao fígado, causando a substituição do tecido saudável por um tecido cheio de nódulos fibrosos.