Fisiologia Renal

Última Atualização: 29/08/2021

Controle da Diurese:

A excreção de água é regulada pela vasopressina (Hormônio antidiurético – ADH).(1,2)

O excesso de água corporal é indicado pela diminuição da osmolalidade, que leva ao encerramento de toda secreção de vasopressina. (1,2)

De maneira similar, o aumento da osmolalidade causa um aumento na secreção de vasopressina e retenção de água. (1,2)

Solutos:

A maior parte dos solutos da urina é proveniente de  dos produtos finais do metabolismo das proteínas. (1)

Ureia – É o soluto predominante, e sua quantidade depende do conteúdo de proteína da dieta.

Acido Úrico –

Creatinina –

Amônia –

A insuficiência renal é a incapacidade de eliminar a carga diária de excreções. (1)

Mecanismo Renina-Angiotensina:

É  o maior mecanismo de controle da pressão arterial do organismo. (1,2)

Um volume sanguíneo reduzido faz com que  haja a secreção de renina pelas células do glomérulo, que atua sobre o angiotensinogênio no plasma para formar angiotensina I, que é convertida em angiotensina II. (1)

A angiotensina II é um poderoso vasoconstritor e um potente estimulador da secreção de aldosterona, responsável pela reabsorção de sódio e de líquidos, que consequentemente retorna a pressão arterial ao normal. (1)

Mecanismo da  Eritropoetina – EPO

O rim é responsável pela produção da eritropoetina, um hormônio fundamental da atividade eritroide na medula óssea. (1,2)

A eritropoetina  estimula a produção de hemácias pelas células-tronco hematopoéticas na medula óssea. (2) Sendo a hipoxia um importante estimulo para esse processo.

A deficiência de EPO é a pincipal causa de anemia grave presente na doença renal crônica. (1)

Saúde Óssea e Rins

Os rins são responsáveis pela produção da forma ativa da vitamina D (1,25-di-hidroxicolecalciferol – (1,25-[OH]2D3) ) – (Calcitriol) assim como a eliminação de cálcio e fósforo. (1,2)

O calcitriol é essencial para a absorção de cálcio pelo trato gastrointestinal e pela deposição normal de cálcio nos ossos. (2)

A vitamina D ativa e promove  a absorção eficiente de cálcio pelo intestino e é uma das substancias  necessárias para o remodelamento e manutenção óssea. (1)

Produção de glicose:

Durante o jejum prolongado, os rins sintetizam glicose a partir de aminoácidos e outros precursores, gliconeogênese. (2)

A capacidade do rim de adicionar glicose no sangue equivale à do fígado no jejum. (2)

Promotores Diuréticos:

O efeito diurético é um importante fator no tratamento das pedras nos rins, de modo que o aumento do fluxo renal ajuda a dissolver as pedras e auxiliam sua excreção sem novos depósitos ou retenções. (3)

Um possível mecanismo proposto para tal efeito é devido aos antagonistas dos receptores de adenosina A1 nos rins, que podem induzir a diurese e a excreção de sódio, via inibição da reabsorção de sódio e água nos rins. E talvez pela promoção da vasodilatação  da arteríola aferente. (3)

Ao contrario da furosemida, os antagonistas da adenosina não causam efeitos colaterais na filtração glomerular e/ou no fluxo sanguíneo renal. (3)

Referências bibliográficas:

1- Mahan LK, Escott-Stump S, Raymond JL. Krause Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13a. Rio de Janeiro: Elsevier; 2012. 1227 p.

2- Hall JE, Guyton AC. Tratado de Fisiologia Médica. 13a. Rio de Janeiro: Elsevier; 2017. 1–1176 p.

3- Yuliana ND, Khatib A, Link-Struensee AMR, Ijzerman AP, Rungkat-Zakaria F, Young HC, et al. Adenosine A1 receptor binding activity of methoxy flavonoids from Orthosiphon stamineus. Planta Med. 2009;75(2):132–6.