Melissa Officinalis –

Última Atualização: 12/09/2021

Já existem estudos em humanos mostrando que a melissa pode ajudar na melhora cognitiva.(1)

A melissa atua inibindo a (acetilcolinaesterase) enzima que degrada a acetilcolina na fenda sinaptica. E isso poderia trazer benefícios relacionados a memoria.  (2)

Composição:

O ácido rosmarínico da Melissa officinalis é um dos principais componentes implicado com sua resposta farmacológica.

Efeitos no organismo:

É indicada na inapetência (ausência do apetite), na gastrite, nos espasmos gastrintestinais, nas disquinesias hepatobiliares, meteorismo (presença exacerbada de gases no trato gastrointestinal), nas coleocistites, nas diarréias, na ansiedade, na insônia, na hipertensão arterial, na taquicardia, na enxaqueca, na asma, na dismenorréia, em feridas, no hipertiroidismo e herpes simples. Também apresenta efeito sedativo e ligeiramente hipnótico e antioxidante.

Posologia:

Dosagem usual: 500 mg a 1000 mg, 1 a 2 vezes ao dia. (pós integrativa)

Referências Bibliográficas:

1- Akhondzadeh S, Noroozian M, Mohammadi M, Ohadinia S, Jamshidi AH, Khani M. Melissa officinalis extract in the treatment of patients with mild to moderate Alzheimer’s disease: A double blind, randomised, placebo controlled trial. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 2003;74(7):863–6.

2- Habtemariam S. Natural products in Alzheimer’s disease therapy: Would old therapeutic approaches fix the broken promise of modern medicines? Molecules. 2019;24(8):1–17.