Saúde vocal:

Última Atualização: 21/10/2020

Higiene vocal:

Para evitar as difonias e melhorar a saúde da voz, são descritos na literatura, os métodos de higiene vocal – normas básicas que objetivam promover o bem estar vocal e melhorar a eficácia comunicativa, evitando lesões no tecido e na mucosa dos órgãos fonoarticulatórios. (1)

Dentre os componentes inseridos no programa, temos questões relacionadas a hidratação, controle do refluxo gastroesofágico e considerações sobre aspectos dietéticos ideais. (1)

Recomendações nutricionais:

Resumo:

  • Ajustar a Hidratação (1,2)
  • Incluir alimentos ricos em fibras (1)
  • Incluir Maçã, salsão, aipo. (1)
  • Frutas como banana prata, caqui,  manga, mamão,  pera, pêssego, goiaba e a ameixa. (1)
  • Evitar alimentos gordurosos e condimentados (1)
  • Evitar o álcool (1)
  • Evitar bebidas gasosas (1)
  • Tomar cuidado com os lácteos (1)

Suplementação nutricional:

  •  Coq.10 – 30mg/ 2x ao dia – Na reabilitação vocal (3)
  • Acetato de Vit. A 1mg / 2x ao dia – Na reabilitação vocal (3)

Orientações nutricionais:

  •  250ml / 30 min cantando. (2)

Benefícios da alimentação:

A alimentação apresenta a capacidade de proporcionar benefícios à saúde vocal, reduzindo o atrito entre as pregas vocais, melhorando a vibração da mucosa e estimulando a mastigação, auxiliando a fonação. (1)

Malefícios da alimentação:

Porém malefícios também podem ser observados por meio do efeito anestésico provocado por alguns alimentos, pela redução da movimentação do diafragma e pela promoção do refluxo gastroesofágico. (1)

Alimentos capazes de promover a sensação de anestesia fazem com que ocorra um abuso vocal, com consequente utilização da voz de maneira inadequada, podendo, no longo prazo, gerar uma alteração vocal. (1)

Já, outros, podem promover o aumento da secreção mucosa, prejudicando a vibração das pregas vocais, alterando seu movimento muco-ondulatório. (1)

Hidratação:

A hidratação adequada é muito importante no desempenho vocal, sendo a agua o principal contribuinte para isso. (1)

Em cantores profissionais a dissipação do calor e o aumento na fricção das cordas vocais devido ao tempo prolongado de fonação pode resultar em alterações na composição dos fluidos no mecanismo vocal. (2)

Essa alteração no mecanismo pode levar a rigidez  e diminuição da viscosidade das cordas vocais, resultando em um maior esforço de movimento e na fadiga. (2)

A agua também serve de lubrificante e de amortecedor nas cordas vocais,  diminuindo os danos gerados pelo abuso ou  mal uso da voz. (2)

A hidratação da laringe é uma proteção adicional contra o atrito da fonação, reduzindo a possibilidade de irritação da mucosa, pois absorve os choques entre as pregas vocais, reduzindo os efeitos do mau uso ou abuso vocal. (1)

Estudos prévios já mostraram que o descanso vocal associado à hidratação pode ser usado como uma estratégia de intervenção para restaurar as funções vocais e melhorar a qualidade da voz. (2)

Um estudo mostrou que ingerir 250ml de água a cada 30min cantando foi benéfico na qualidade e na saúde vocal. (2)

A hidratação adequada gerou um aumento na frequência máxima, aumentando o alcance da voz. (2)

Fibras:

Os alimentos constituídos por fibras promovem uma mastigação mais vigorosa e com amplitude de movimento que auxilia na abertura da boca e no treinamento da musculatura facial e consequentemente na articulação dos fonemas. (1)

A pectina é uma fibra solúvel amplamente distribuída na parede celular de frutas e vegetais que promove a higienização da cavidade oral, melhorando a ressonância vocal. (1) Frutas como  banana prata, caqui,  manga, mamão,  pera, pêssego, goiaba e a ameixa também são ricas em pectina, sendo sua ingestão recomendada. Porém, não existem estudos específicos que comprovem seus benefícios como no caso da maçã e das frutas cítricas. (1)

Adstringência:

Os taninos condensados são os responsáveis pela característica adstringente de alguns frutos, e a interação desses taninos com as proteínas salivares estimulam a salivação. (1)

Assim como a maçã, o salsão e o aipo também apresentam essa característica adstringente. (1)

Frutas cítricas:

As frutas cítricas são indicadas por estimularem a salivação, melhorando a lubrificação do trato vocal. (1)

A estimulação da salivação promove um maior numero de deglutições, relaxando a musculatura da laringe. (1)

Sucos naturais, especialmente os de laranja e de limão, auxiliam na absorção do excesso de secreção mucosa.  Porém, sua ingestão não é aconselhável para indivíduos que apresetam refluxo gastroesofágico. (1)

Maçã:

A maçã tem propriedades adstringentes que diminuem a secreção da mucosa, além de ter efeito na hidratação. O consumo da maça auxilia na produção vocal, não somente por sua propriedade adstringente, mas também por promover uma melhora da articulação e da ressonância por meio dos movimentos vigorosos da mastigação que exercitam a musculatura da boca e mandíbula. (1)

A maçã como fruta cítrica contem pectina, uma fibra solúvel amplamente distribuída na parede celular de frutas e vegetais, que promove a higienização da cavidade oral, melhorando a ressonância vocal. (1)

Mel e limão:

O mel pode agir como um lubrificante das caixas de ressonância, por conter diversos compostos bioativos e enzimas com atividade antioxidante e antibacteriana. (1)

Alguns autores relatam que o mel, especialmente quando associado ao limão, promove boas condições para a produção vocal. (1)

Porém, alguns indivíduos ao ingerir  o mel, relatam alterações na viscosidade da saliva, sendo contraindicado antes do uso intenso da voz. (1)

Própolis:

Essa substância oferece ação anti-inflamatória, sendo lubrificante da boca e da faringe. (1)

Alimentos gordurosos:

Os alimentos gordurosos alteram a produção vocal pois lentificam  a digestão, o que dificulta a movimentação do diafragma, músculo importante na respiração e , por conseguinte, na produção vocal. (1)

Alimentos condimentados:

Os alimentos condimentados alteram a produção vocal pois lentificam  a digestão, o que dificulta a movimentação do diafragma, músculo importante na respiração e , por conseguinte, na produção vocal. (1)

Bebidas alcoólicas:

As bebidas alcoólicas agem como um irritante da laringe, além de promoverem um efeito anestésico, gerando uma redução da sensibilidade que mascara possíveis alterações vocais. (1)

Adicionalmente, eles promovem também a irritação na mucosa das pregas vocais. (1)

As bebidas mais agressoras pensando no trato vocal são as destiladas, como whisky, cachaça, e o conhaque. (1)

Sendo especialmente contraindicadas para profissionais da voz. (1)

Além disso, o consumo das bebidas alcoólicas provocam um descontrole na atividade muscular da laringe, principalmente no controle de ajustes finos, interferindo no controle da intensidade (fraca ou forte) e da frequência da voz (agudo ou grave). (1)

Balas, pastilhas e sprays:

Assim como as bebidas alcoólicas, balas e pastilhas mascaram o esforço vocal, levando o individuo a abusar da voz, prejudicando ainda mais a mucosa do trato vocal. (1)

Bebidas gasosas:

Bebidas gasosas devem ser evitados pois os gases presentes na bebida podem permanecer no estomago, favorecendo a distensão gástrica, consequentemente dificultando a movimentação do diafragma, limitando a excursão respiratória e alterando a produção vocal. (1)

Leite:

Leite e derivados aumentam a secreção da mucosa no trato vocal, dificultando a vibração das pregas vocais e prejudicando a ressonância vocal, por isso, é aconselhável evita-los antes da atuação profissional. (1)

Esses alimentos tornam a saliva mais espessa, provocando o pigarro e dificultando a propagação do som através do trato vocal. (1)

Em indivíduos saudáveis, recomenda-se evitar seu consumo apenas antes do desempenho profissional. (1)

Coenzima q10:

Um estudo mostrou que a administração de 300mg de Qter (equivalente a 30mg de CoQ10) 2x ao dia foi benéfica na recuperação de lesões associadas a voz. (3)

É possível assumir que os níveis aumentados de Qter melhoraram as funções bioenergéticas  do sistema respiratório e fonatorio, permitindo uma melhor recuperação vocal. (3)

Vitamina a:

Um estudo mostrou que a administração de 1mg de Acetado de Vit. A  2x ao dia foi benéfica na recuperação de lesões associadas a voz. (3)

Ao que parece a vit. A é capaz de restaurar a textura da mucosa laringeal. (3)

Fisiologia:

Fatores de risco:

 

Fisiologia:

Referências bibliográficas:

1- Fontes VS, Oliveira CG de. Alimentação como fator relevante à saúde vocal: alimentos que proporcionam efeitos benéficos e maléficos para a produção da voz. HU Rev. 2016;42:19–25.

2- van Wyk L, Cloete M, Hattingh D, van der Linde J, Geertsema S. The Effect of Hydration on the Voice Quality of Future Professional Vocal Performers. J Voice [Internet]. 2017;31(1):111.e29-111.e36. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.jvoice.2016.01.002

3- Ruoppolo G, Longo L, Pescerelli P, Mango C, Nicastri M, Flaccadoro F, et al. CoQ10 and Vitamin A supplementation support voice rehabilitation. A double-blind, randomized, controlled, three-period cross-over pilot study. Front Pharmacol. 2019;10(JULY):1–8.