Selênio – Biodisponibilidade, metabolismo, deficiência, suplementação…

Última Atualização: 10/08/2021

Exames Bioquímicos:

Pensando na saúde tireoidiana, seria interessante valores acima de 80-120ng/mL de selênio

Biodisponibilidade e Metabolismo:

O selênio é mais biodisponivel em alimentos de origem vegetal, encontrado na forma de selênio metionina, e na forma animal ele esta na forma de selênio cisteina. (pós VP)

Recomendações nutricionais:

RDA:55 mcg / dia (1)

UL:

Fontes Alimentares: Semente de girassol, farelo de rigo, castanha do brasil, camarão, ostras, salmão, farinha de trigo integral, frango assado, alho cru, amêndoa, avelã, leite,

Existe uma janela relativamente estreita entre a deficiência e a toxicidade de selênio, de forma que recomenda-se evitar a ingestão muito baixa ou muito alta desse elemento traço essencial que pode estar associado a efeitos adversos. (2)

É o único alimento possível de haver um superavit apenas pelo consumo do alimento – Selenose.  Cabelo quebradiço, unhas fracas, odor de alho na boca. (Pós VP)

Deficiência:

Sinais e sintomas da deficiência:

  • Dores musculares, fadiga, fraqueza muscular, aumento da CK.
  • Diminuição do nosso sistema imune. (3)

Suplementação nutricional:

A suplementação nutricional de selênio não foi capaz de melhorar a capacidade aeróbia. (1)

Selênio Quelato:

mineral essencial que o organismo necessita em quantidades mínimas, utilizado como preventivo nas alterações degenerativas do pâncreas; exerce efeito protetor, retardando o desenvolvimento do tecido cancerígeno; deficiências imunológicas; artrite reumatóide; doenças cardíacas; também protege contra os efeitos tóxicos do cádmio, mercúrio, chumbo e outros metais tóxicos formando complexos biologicamente inativos, aumenta a efetividade da vitamina E, além de tratar-se de um antioxidante que ajuda a prevenir a ruptura dos cromossomas dos tecidos. Dosagem usual: 50 a 200mcg de selênio elementar diariamente. (pós)

Selenometionina:

ativo processado para alcançar altos níveis de Seleniometionina, a forma mais segura para suplementação de selênio. Possui ação antioxidante, detoxificante e rejuvenescedora integral, restaura a firmeza, elasticidade e hidratação da pele e cabelos, previne doenças crônicas e processos inflamatórios sistêmicos, provê suplementação de selênio segura para gestantes e lactantes, para saúde e formação do sistema imunológico do bebê, suplementação para disfunções da tireoide, principalmente tireoidite de Hashimoto, adjuvante nos tratamentos do câncer (especialmente o câncer de mama, de colo, de próstata, pulmão e de pele. Dosagem usual: 50mg diariamente. (pós Integrativa)

Atua em um dos metabolismos importante na destoxificação do organismo. Na p450 (Pós VP)

Função do Selênio nos órgãos:

Trabalho mostrando o papel do selênio nos órgãos do organismo. (3)

Selênio e doenças:

Os estudos tem demonstrado a importância do selênio influenciando doenças benignas e malignas na tireoide, principalmente em mulheres. (2)

Porém, não existem evidencias de que o aumento da ingestão de selênio, seja por meio da dieta ou por meio de suplementos, possa prevenir o desenvolvimento de câncer em humanos. (2)

Selênio e câncer:

(+Sobre o cancer)

Selênio atua na diminuição do risco de câncer, além da diminuição da angiogênese. (3)

Selênio e Resistencia a insulina:

(+Sobre Resistencia a insulina)

Atua na modulação da insulina, melhorando a cascata de sinalização intra-celular, diminuindo a resistência periférica a insulina. (3)

Selenio e função anti-inflamatória:

Ele inibe a NF-Kβ – um fator de transcrição nuclear que expressa genes inflamatórios. (3)

Selênio e Fertilidade:

Fundamental na manutenção da integridade do espermatozoide. Atua na integridade da membrana do esperma. O zinco também atua nisso. (3)

Referencias: bibliográficas:

1- Kerksick CM, Wilborn CD, Roberts MD, Smith-Ryan A, Kleiner SM, Jäger R, et al. ISSN exercise & sports nutrition review update: Research & recommendKerksick, C. M., Wilborn, C. D., Roberts, M. D., Smith-Ryan, A., Kleiner, S. M., Jäger, R., … Kreider, R. B. (2018). ISSN exercise & sports nutrition review update: Research & recommendat. J Int Soc Sports Nutr. 2018;15(1):1–57.

2- Cozzolino S. Biodisponibilidade de Nutrientes. 6a. São Paulo: Manole; 2020. 934 p.

3- Hosnedlova B, Kepinska M, Skalickova S, Fernandez C, Ruttkay-Nedecky B, Donald Malevu T, et al. A summary of new findings on the biological effects of selenium in selected animal species—a critical review. Int J Mol Sci. 2017;18(10).