Vitamina A – Retinol – Metabolismo, biodisponibilidade, recomendação nutricional…

Última Atualização: 09/08/2021

Exames Bioquímicos:

A avaliação bioquímica da vitamina A é importante, é utilizado a concentração plasmática de retinol, mas é importante salientar  que o status do zinco também interfere diretamente nessa medida. (Pós VP)

Biodisponibilidade e Metabolismo:

Alimentos de origem animal (retinol esterificado), origem vegetal (pigmentos amarelos e vermelhos, carotenoides, que podem ser convertidos em retinol.) (Pós VP)

Por serem vitaminas lipossolúveis, qualquer comprometimento da digestão de lipídios vai no longo prazo interferir nas concentrações dessa vitamina! (Pós VP)

O retino é estocado nofigado (80%) e sua mobilização / transporte é feita através da proteína ligada ao retinol -RBP (uma proteína que tem sua síntese hepática dependente de zinco) (Pós VP)

Recomendações Nutricionais:

RDA:

UL:

Fontes Alimentares: fígado, óleo de fígado de peixe, ovos, produtos lácteos, vegetais verdes escuros, frutas amarelo alaranjadas.

essencial para o desenvolvimento da pele, crescimento e manutenção dos ossos, glândulas, dentes, unhas e cabelos, participando também da elaboração e regeneração de substâncias indispensáveis à fisiologia da visão. Há evidências de que esta pode também alterar ou modular a síntese de colágeno e renovação celular. Dosagem usual: até 50000UI diariamente, podendo chegar a 300000UI quando aplicadas á distúrbios da pele.(pós)

  •  
  • Apresenta papel fundamental na regulação do sistema imune estimulando a diferenciação de leucócitos, no funcionamento normal do sistema visual, na incorporação do ferro na hemoglobina. (1)
  • Tem como precursor o Betacaroteno, um importante antioxidante protetor para diversas doenças cardiovasculares. (1)

Fisiologia:

A vitamina A é representada por dois grupos de compostos, os retinoides e os carotenoides. (2)

Os retinoides compreendem o retinol, o retinaldeído e o ácido retinoico (Vit. A pré formada, encontrada apenas em alimentos de origem animal). (2)

Os carotenoides, encontrados nos vegetais, são constituídos de carotenos e compostos relacionados; muitos precursores da vitamina A que podem ser clivados para produzir retinaldeído, e em seguida retinol e ácido retinoico. (2)

O β-caroteno e os outros carotenoides da provitamina A são clivados na mucosa intestinal pela caroteno-dioxigenase, produzindo retinaldeído, que é reduzido a retinol, esterificado e secretado em quilomícrons, juntamente com ésteres formados a partir do retinol da dieta. (2)

A atividade da enzima caroteno-dioxigenase é baixa, de modo que uma porção relativamente grande  do β-caroteno será encontrado na circulação sanguínea de forma inalterada. (2)

1 UI = 0,3µg de retinol  (2)

1µ de retinol = 3,33UI (2)

Função no organismo:

A vitamina A tem um importante papel na diferenciação e renovação celular. O ácido retinoico lega-se a receptores nucleares, que se ligam aos elementos de resposta do DNA e regulam a transcrição de genes específicos. (2)

Ela é fundamental na síntese de insulina, GH, na espermatogênese (Pós VP)

Na forma de retinol a vitamina A tem a função de garantir a nossa capacidade de enxergar no escuro.  Na forma de ácido retinóico ela atua na expressão genica na síntese proteica e na proliferação e diferenciação celular. (Pós VP)

Ela é fundamental na diferenciação das células epiteliais e caliciformes (células de globet) responsáveis pela síntese da proteína mucina,  que em contato com a agua forma o muco. (Pós VP)

No sistema imune ela atua na proliferação e diferenciação de linfócitos, importantes para a produção de IgA.  (Pós VP)

Deficiência nutricional:

Sinais e sintomas: (Pós VP)

  • Menor produção de muco
  • Maior permeabilidade intestinal
  • Menor produção IgA e menor atividade fagocítica.
  • Cegueira noturna
  • Pele ressecada, prejuízo na saúde ocular, olho seco, xeroftalmia
  • Prejuízo no crescimento e desenvolvimento ósseo
  • Má formação fetal
  • Prejuizo na síntese de transferrina, podendo gerar uma anemia não responsiva ao ferro.
  • Maior risco para trombose

A deficiência da vitamina A compromete a função da Vit. D e do hormônio da tireoide devido à falta de ácido 9-cis-retinoico para formar dímeros de receptores ativos. (2)

Por ela desempenhar um importante papel na diferenciação das células do sistema imune, até mesmo uma leve deficiência pode resultar no aumento da sucetibilidade a doenças infecciosas.  (2)

Hipervitaminose:

O excesso de vitamina A prejudica a função da vitamina D e do hormônio da tireoide devido à formação de homodímeros de RXR, ou seja, não existem RXRs suficientes para formar heterodímeros com os receptores da vitamina D e do hormônio da tireoide. (2)

Suplementação:

Estudos demonstraram que a suplementação em doses fisiológicas tem um efeito limitado na peroxidação lipídica causada pelo exercício físico extenuante. (1)

Referências bibliográficas:

1- Lancha Jr. AH, Rogeri PS, Pereira-Lancha LO. Suplementação Nutricional no Esporte 2a Ed. 2a. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2019. 266 p.

2- Rodwell V w., Bender DA, Bothan KM, Kennelly PJ, Weil PA. Bioquímica ilustrada de Harper. 30a. ArtMed; 2017. 817 p.